Design Sprint 2.0 e por que ele nos prepara para o futuro


ou: como criar e aprender rápido. Retirado do site do Google Ventures.

O Design Sprint é um processo de quatro dias para responder a perguntas críticas de negócios por meio de design, prototipagem e teste de ideias com os stakeholders - retirado do site do Google Ventures.

O Design Sprint tem se mostrado uma peça cada vez mais estratégica dentro de empresas. Não pensando apenas para criação de produtos, o Design Sprint se consolida como uma ferramenta para inovação estratégica dentro de empresas.


Cada vez mais é crucial construirmos algo pensando no ser humano. E é aí que o Design Sprint entra.


Sobre a abordagem do design


Antes de falar sobre o Design Sprint, vamos olhar apenas para a primeira parte: o design.


O olhar humano é crucial para uma entrega de alto valor agregado. Quando pensamos nas necessidades reais do ser humano do outro lado do computador (que pode ser tanto nosso cliente quanto nosso colaborador), estamos resolvendo um problema prático e emocional, não apenas imaginado.


O design, com os pilares da empatia, colaboração e prototipação se propõe exatamente a isso: compreender quem é a pessoa do outro lado, viver o desafio em nossa pele e construir uma solução desejável para ela. E claro, testar o mais rápido possível para entender a viabilidade da solução.


E é por isso que o Design Thinking tem ganhado tanto espaço no mundo corporativo: as pessoas cansaram de comprar coisas empurradas e querem questionar o "por que" das coisas. E o Design Thinking tem este poder: atribuir propósito para as coisas existirem.



Um pouco mais sobre design…


Pense na primeira e segunda revolução industrial: aprendemos que as pessoas precisam de produtos como extensão de nosso corpo e mais, aprendemos a fazer em escala.


Já a terceira revolução industrial nos mostrou que podemos automatizar muitos dos processos realizados por mãos humanas.


E agora estamos na quarta revolução industrial, na qual cansamos da cultura de consumo exacerbado e precisamos atribuir inteligência para o que fazemos — e é aqui que o design tem seu papel.


Como processo, o design cria significado para as coisas estarem ali — inclusive questionando muito e sacudindo o status quo. Porém isso é essencial caso queiramos transformar algum contexto.


"O que nos trouxe até aqui não nos levará adiante." — Marshall Goldsmith.

Para transformar um contexto, precisamos questionar e reavaliar as ferramentas que estamos utilizando para criar nosso futuro. E é aqui que o Design Sprint 2.0 entra em cena — uma ferramenta inovadora capaz de criar futuros que desejamos viver.


O Design Sprint e a versão 2.0


Desde 2010, o Google Ventures vem rodando Design Sprints para testar, aplicar e criar soluções em um curto espaço de tempo. Depois de muitos Design Sprints realizados e uma série de experiências/resultados incríveis, em 2012 foi lançado o livro Sprint, por Jake Knapp, no qual ele explica exatamente como aplicar este método.


Basicamente, o Design Sprint pode ser explicado como um método para testar, aplicar e criar soluções em apenas uma semana.


Em 2016, foi lançado a versão 2.0 com a AJ&Smart, uma agência de design de Berlin — basicamente exatamente o mesmo processo, só que agora em apenas 4 dias.


E é aqui que entramos em cena: a Ensaio aprendeu como realizar este processo junto com a Udacity (universidade investida pela Google e Facebook), e desde então já aplicamos uma série de Sprints com nossos parceiros.


Me fale de números…


Utilizando o Design Sprint 2.0 como método para criar soluções, já tivemos algumas experiências interessantes, como:


  • criamos duas startups no ramo de design e experiência do cliente;

  • ajudamos uma empresa a economizar R$150K não investindo em um produto que não tinha market-fit;

  • validamos a criação de um produto, inclusive gerando duas oportunidades de venda prontas para serem atendidos pela solução;

  • criamos um processo comercial para uma empresa de treinamentos;

  • reformulamos o posicionamento de uma agência de comunicação;

  • entre alguns outros casos…


Por que aplicar o Design Sprint 2.0?


O Design Sprint é uma ferramenta que cria o futuro que desejamos.


Vejo que há três ganhos fortíssimos para o conceito se espalhar cada vez mais no mundo corporativo, que são eles:


  • Você consegue criar uma solução para um cenário complexo. Hoje em dia as empresas estão em cenários cada vez mais voláteis e faltam processos para ajudar a navegar nestes meios. O Design Sprint tem este poder (e mágica) de solucionar cenários de complexidade.

  • Time is money. Criar soluções em curto espaço de tempo — em apenas 4 dias. This is magic.

  • Mitigar riscos e custos. Quando falamos de validação, estamos falando em como diminuir riscos de investimento e inclusive economia. O Design Sprint é perfeito para este cenário.


Muito obrigado pela sua leitura! :)

2 visualizações

© 2020 por Ensaio.