4 .

Audiocase

NEGÓCIO

SOCIAL

Gustavo Moreno

14 de maio de 2021

Ouça o audiocase

Negócio SocialGustavo Moreno
00:00 / 11:58

[Áudio de Muhammad Yunus]


 

[GUSTAVO MORENO]


 

Esse áudio que acabamos de escutar é do Muhammad Yunus contando como ele conheceu o presidente da Danone e sugeriu de abrir uma Danone em Bangladesh.

 

"Pra fazer o que?" - Retrucou o presidente da Danone.

 

"Ora, para produzir iogurte. Você me diz que seu iogurte é delicioso" - Todos riem.

 

"Na verdade, é para um propósito especial" - Conclui Yunus.

[VINHETA]


 

Meu nome é Gustavo Moreno, mas você pode me chamar de Gus. No Audiocase de hoje, eu quero contar um pouco da história da parceria da Danone com Grameen, que é uma Empresa Social do Muhammad Yunus.

 

A Grameen Danone Foods, é uma Empresa Social fundada em 2006, em Bangladesh. Seu objetivo, missão social, é atingir a desnutrição na cidade ao prover produtos como o tal do iogurte delicioso, que contém vários nutrientes que faltam na dieta de crianças pobres para, assim, promover esses produtos a um preço acessível a todos e todas.

 

Era justamente esse o propósito especial que Muhammad Yunus sugeriu para Frank Riboud, então presidente e chefe diretor da Danone (12 de outubro de 2005).

 

Yunus explicou para o Frank que em Bangladesh, mais de 54% das crianças em idade pré-escolar (9,5 milhões de jovens), estão desnutridas e 56% dessas crianças estão abaixo do peso. 

Logo de cara, Frank olhou para Yunus e disse: "Eu topo! Estou dentro, vamos fechar essa parceria e criar uma joint venture".

 

Yunus calmamente olhou para ele e respondeu: "Calma. Eu ainda não terminei". E, em sequência, falou: "A gente vai fazer a parceria, vamos fazer disso um negócio social".

 

Frank indagou: "Mas o que é um negócio social?"

 

Logo Yunus explicou que, nesse tipo de business, você pode investir mas não pode retirar os dividendos, isto é, você pode recuperar todo seu dinheiro investido, cada centavo, mas, após o momento que o seu dinheiro tiver sido retornado na mesma quantidade em que foi investido, um ciclo se encerra.

A partir deste momento, todo o lucro que essa organização vier a ter não é mais do investidor e sim da própria empresa, pois um negócio social é orientado por um problema social. Em outras palavras, um negócio social é criado e projetado para resolver um problema social.

 

Ao entender esse novo conceito, Frank Riboud não teve dúvidas e quis prontamente fechar essa parceria com Yunus. Nesse momento Yunus conta que ficou em dúvida se o diretor da Danone realmente tinha entendido sua explicação ou se seu sotaque não tinha permitido a compreensão.

 

Brincadeiras à parte, assim surgiu a Grameen Danone Foods.

 

Muito interessante a gente entender que, especialistas indicam que se uma criança mal nutrida consumir 2 copos deste iogurte por semana, ao longo de 1 ano, essa criança vai recuperar a saúde completamente.

 

Então a Grameen Danone tem como missão lutar contra a má nutrição em Bangladesh e desde 2005 vem atuando nessa frente. 

 

Atualmente essa empresa produz o Shokti+. Mas, além disso, a empresa também gera benefícios sociais mais amplos, por exemplo: do lado da oferta, ela apoia os pequenos agricultores locais de Bangladesh adquirindo seu leite; no campo da distribuição, a empresa fornece trabalho e capacitação para as chamadas Senhoras Grameen, que são as pessoas  que vendem esses produtos nas áreas rurais.

 

Não há muito tempo atrás, em 2018, a Grameen Danone conquistou a certificação do Selo B (ou Empresa B), basicamente, esse selo é dado para uma empresa que visa, como modelo de negócio, o desenvolvimento social e ambiental. Aqui na América Latina, temos uma adaptação dessa certificação, chamada de Sistema B. 

 

Em 2019 a empresa também ganhou o título de "Melhor para o Mundo" dentro de todas as empresas que possuem a certificação na categoria de Comunidade, reconhecendo o impacto positivo para uma prosperidade compartilhada e sustentável para todos e todas.

 

Atualmente, a Grameen Danone impacta 300 mil crianças em Bangladesh além de ter um modelo de negócio sustentável que gera receita para aproximadamente 500 fazendeiros, 200 Senhora Grameen e 117 puxadores de van, que distribuem os produtos.

 

Além dessa empresa social que obtém muito sucesso, o Muhammad Yunus está envolvido em outras frentes que estimulam os negócios sociais, já tendo escrito alguns livros sobre o assunto e tendo, inclusive, ganhado um Nobel da Paz em 2006 por ter cunhado e estabelecido uma empresa social em torno do conceito de microcrédito que, num resumo da ópera, é um banco para pessoas muito pobres. Por isso, Yunus também ficou conhecido pela alcunha de "Banqueiro dos Pobres".

 

Eu queria terminar nosso audiocase de hoje contando para você os 7 princípios dos negócios sociais de acordo com Yunus.

  1. O Objetivo do negócio deixa de ser a maximização do lucro e passa a ser a superação de um problema social que ameaça das pessoas e a sociedade;

  2. A sustentabilidade econômica e financeira, ou seja, o negócio deve conseguir se manter de pé sozinho;

  3. Investidores recebem de volta apenas a quantia investida e nenhum dividendo a mais é dado;

  4. Quando a quantia investida é devolvida, o lucro da empresa permanece nela para expansão e melhoria, dando continuidade da solução desse problema social e ambiental;

  5. A consciência ambiental deve se relacionar com toda a cadeia de produção, desde a extração da matéria prima até a entrega do produto final;

  6. A mão de obra envolvida deve receber uma remuneração seguindo as melhores condições de trabalho;

  7. Fazer isso tudo com alegria!

 

E aí, curtiu saber um pouco mais sobre Negócios Sociais?

Entrevistamos a Letícia Stables, Presidente do The Justice Movement no próximo Pico.  Vem ler!

Continuar passeio pela contracapa. 

Receba semanalmente