2 .

Provocações

TRANSFORMAÇÃO

MUITO ALÉM DO DIGITAL

 Nicole Fonseca

12 de setembro de 2021

Muito se ouve falar sobre a transformação digital, mas e a transformação cultural que as empresas precisam?

Bom, para início de conversa, vamos contextualizar um pouco sobre o que é a transformação digital. Como disse, não é um conceito recente, entretanto conhecido apenas pela transformação tecnológica pelo qual as empresas pré-mundo digital precisam enfrentar para continuarem existindo no mercado, é muito comum ao falarmos sobre a transformação digital focarmos apenas no uso das novas tecnologias para melhoria do desempenho dessas empresas. 

Porém, a transformação digital não diz respeito apenas às novas tecnologias, e sim a toda mudança de mentalidade que as empresas precisam ter para responder à lógica do mundo digital. 

Quando falamos do mundo digital, estamos nos referindo ao mundo VUCA, acrônimo  das palavras volátil, incerto, complexo e ambíguo. O mundo no qual vivemos proporciona as empresas uma competitividade e desafios cada vez mais intensos para sobreviver. Lá no aprofundamento exploramos mais este tema, vale a pena conferir!

Qual a lógica do mundo VUCA? Mudanças rápidas, das respostas instantâneas, da flexibilidade e da agilidade, ou seja de uma mudança não-linear.

No livro The Digital Transformation Playbook, o autor David Rogers nos traz alguns insights sobre as mudanças de mentalidade que as empresas precisam adotar neste mundo digital. São elas: 

  • Clientes

  • Concorrência

  • Dados

  • Inovação 

  • Valor

Sobre o cliente, antes a visão das empresas era que o cliente é como mercado de massa, e na Era Digital estamos colocando este cliente no centro, entendendo mais qual a sua dor. Quando pensamos em concorrência, tendemos a acreditar que existem os parceiros e os rivais, porém no mundo digital esta informação não é exatamente assim: podemos ser parceiros com todas as empresas, mesmo aquelas que atuam no mesmo mercado.

Em seu livro o autor  David Rogers, relata também a importância dos dados nesta nova era, o que antes era visto como um grande desafio para armazenar e extrair informações, hoje é crucial. Dados são gerados continuamente em todos os lugares dentro de uma empresa e possui informações valiosas para o negócio.

 

 

Sobre inovação, o autor nos mostra que na era pré-digital as empresas geravam inovações a partir das suas experiências, e que hoje inovação é um processo necessário para resolver os problemas certos da melhor maneira possível. E o que o valor gerado antigamente pela empresa era definido pela indústria, porém hoje é definida pela mudança de necessidade do cliente. 

 

 

Contudo, este texto não pretende apenas trazer informações de um livro, mas também queremos provocar, além de todos os pontos citados acima, onde está a cultura e a diversidade dentro das empresas como parte da dita transformação digital? Acredito que toda transformação digital começa pela transformação cultural.

 

 

Uma pesquisa realizada pela McKinsey em 2017 nos mostra que os desafios culturais e comportamentais são os mais significativos para o sucesso de uma empresa na era digital. 

Em uma era pré-digital, a cultura tendia a ser mais comando e controle, uma liderança que não buscava ouvir seus colaboradores ou não possuíam a consciência da necessidade de uma comunicação não-violenta, por exemplo.

Felizmente, este tipo de cultura não se sustenta mais em um mundo digital, e as empresas que mais crescem atualmente são empresas que possuem uma real preocupação com os seus colaboradores, líderes inspiradores, em um ambiente no qual podemos demonstrar fraqueza sem julgamentos. 

Ao longo da minha jornada na área de inovação, o que mais aprendemos é que para inovar precisamos de três pilares: empatia, colaboração e experimentação.

Se olharmos com detalhe cada um deles, estamos olhando para os pilares da transformação cultural que uma empresa precisa ter. É necessário desenvolvermos empatia pelas pessoas que estão trabalhando conosco, com os nossos clientes e também pelos nossos concorrentes.

 

 

Desenvolver uma cultura de colaboração, onde independente do cargo, juntos todos podem colaborar e contribuir com novas ideias, desenvolvendo soluções de forma colaborativa e por fim, não ter medo de testar, errar e aprender, precisamos nos desprender do pensamento linear que as empresas carregaram por muito tempo, onde não havia espaço para erros, na era digital é importante enxergar o erro como um processo para novas descobertas.

Outro ponto que gostaria de provocar, indo um pouco além é sobre a diversidade dentro das empresas. Para promover choque de ideias, criar soluções de fato inovadores, já parou para analisar que ter uma cultura baseada em diversidade é importante?

 

 

E quando falo em diversidade, não é apenas contratar pessoas com diferentes orientações ideológicas e histórias de vida, é também promover que estas pessoas também estejam na liderança. 

Agora que entendemos um pouco sobre a importância da cultura da inovação, você deve estar se perguntando por onde começar a transformação cultural, talvez esta transformação necessite inicialmente de um esforço muito maior, seria muito lindo se houvesse uma tecnologia capaz de mudar a forma de pensar de uma empresa do dia para a noite.

E se posso deixar alguma mensagem para você que está aqui lendo este texto: comece pelas pessoas. Permita que elas sejam vulneráveis dentro do ambiente de trabalho, pratique a escuta ativa, avalie de maneira crítica como a sua empresa promove a diversidade, como é o perfil dos seus colaboradores. 

Sabemos que para mudar a direção de um navio é muito difícil, mas me permita aqui utilizar uma metáfora bem “tio do pavê”, se o Titanic tivesse mudado a sua rota anteriormente evitaria a colisão com o iceberg. Mude a sua empresa enquanto houver tempo, e comece pela transformação cultural. 

Receba semanalmente