Agências Ágeis: Por que a abordagem ágil faz sentido para agências de propaganda?


Por Patric Palm, CEO and Co-Founder, Favro


A metodologia Ágil foi originalmente concebida para endereçar os desafios que surgiram com os altos níveis de incerteza no setor de desenvolvimento de software. O framework iterativo ágil traz uma "super-adaptabilidade" para as organizações, e essa abordagem é hoje cada vez mais relevante em diferentes indústrias enquanto o cenário no mercado se torna cada vez mais rápido e incerto. Agências de propaganda deveriam tomar nota.


As empresas criativas hoje estão fundamentalmente em um ponto de evolução. Existe um empurrão amplo da indústria para um modelo colaborativo de serviço com o cliente, e para realmente entregar valor para times de clientes que demandam cada vez mais precisamos colaborar ao redor de várias localizações. Mas para agências enraizadas em métodos tradicionais, esse "shift" necessário desafia os métodos existentes de gestão. Ao adotar princípios Ágeis, empresas criativas podem ultrapassar processos insustentáveis e chegar na adaptabilidade necessária de uma indústria altamente competitiva.

O shift de paradigma com serviço ao cliente


Agências de propaganda tem funcionado há um bom tempo de acordo com o modelo tradicional de retenção. Sob essa abordagem, as empresas cobram dos clientes uma taxa mensal que cobre um número específico de horas de serviço. No nível da superfície, o modelo de retenção faz sentido, configurar um valor fixo para a entrega do serviço. O problema desse modelo é que ele não é funcional para lidar com a natureza mutável do trabalho de uma agência. Enquanto a abordagem de retenção parece ser simples, não é adaptável – e isso apresenta um desafio para as empresas que esperam oferecer serviços competitivos para os clientes em potencial.


Nos últimos anos, as necessidades dos clientes – e, consequentemente, a natureza de entrega do serviço – evoluiu drasticamente. Onde clientes assinavam com agências criativas para lançar campanhas "big bang", hoje eles estão olhando para as mesmas empresas buscando uma entrega mais colaborativa e um relacionamento contínuo. Se empresas criativas costumavam ser vistas como um projeto de desenvolvedores terceirizados, hoje eles estão cada vez mais sendo vistos como parceiros estratégicos. Essa mudança é na maior parte devido a evolução de necessidades: Ao invés de pedir uma campanha de anúncios com alto impacto, os clientes estão recrutando essas empresas criativas para ajudarem eles a fomentar um relacionamento contínuo com seus clientes. Sendo uma agência criativa, sua habilidade de entregar um anúncio na televisão que pegue a atenção está se tornando menos importante do que resultados comprovados ao construir um engajamento consistente com os clientes nas mídias sociais, através de aplicativo e eventos da indústria.


Rumo ao Ágil: Benefícios e adoção estratégica


No modelo “big bang”, um grau de distância entre o cliente e a agência faz sentido: Uma vez que você estabelece uma grande ideia, a empresa trabalha autonomamente para trazer aquela ideia pro mundo material. Mas como a indústria se move para longe do serviço tradicional e caminha em direção a um modelo mais contínuo e colaborativo, empresas criativas precisam de workflows que se encaixam nessa mudança. Aqui entra o Ágil.


Como uma metodologia, Ágil é construído ao redor do princípio de entrega contínua e desenvolvimento. Toda entrega é um incremento utilizável e de valor do trabalho. Na prática, ele oferece um framework estratégico ideal para agências criativas atenderem melhor os seus clientes. Ao adotar as práticas Ágeis, agências de propaganda podem colher os benefícios que surgem ao endereçar as expectativas de evolução no serviço ao cliente.


Uma dessas vantagens é uma adaptabilidade maior. Mais do que nunca, a evolução dos serviços aos clientes em empresas criativas tem sido guiada pela necessidade de acomodar mudanças nos projetos. No novo paradigma, os planejamentos do projeto não são mais escritos em pedra; ao invés disso, todo esforço criativo deve ser preparado para uma constante adaptação. Ágil acomoda essa necessidade pela alta adaptabilidade ao promover fluxos de trabalho construídos ao redor de autonomia, ainda alinhando, times, planejamento flexível e experimentação. Em um espaço de trabalho Ágil, as agências não ficam mais presas a uma “big idea" que não muda. E isso é uma coisa boa em uma indústria altamente movida pela incerteza, onde o conceito maravilhoso da segunda-feira pode se tornar irrelevante ou redundante na terça-feira.


Outro benefício chave ao adotar a abordagem Ágil é mais transparência na comunicação com o cliente. Ao invés de meramente delegar projetos para as empresas criativas e aguardar a conclusão, hoje em dia os clientes da agência querem sentar na mesa em toda a fase do desenvolvimento do projeto. Essa demanda por envolvimento constante deixa o modelo do serviço tradicional ainda mais inviável, desde que esses métodos são muito rígido para acomodar a re-priorização que o envolvimento perto dos clientes requer. Em contraste, o Ágil é desenhado para entregar grande flexibilidade em um trabalho baseado no flow que permite e encoraja "pivotar" frequentemente baseado no input do cliente.


Barrows é um exemplo de empresa criativa que tem sentido os benefícios significativos desde que adotaram as práticas ágeis, como Kurt Hold, o diretor de Serviço ao Cliente, explica.


“Com as práticas de gestão Ágil, nós podemos nos tornar 20% mais efetivos,” disse Hold. “Passo a passo, aplicando ferramentas ágeis permitiu nos tornarmos muito mais rápido, e isso nos ajudou a solidificar nossa posição na indústria."

Além desses benefícios, as agências podem ficar relutantes a adaptar o Ágil pela percepção de dificuldade envolvida. Para várias agências de propaganda, a adoção do Ágil significa um inspeção significativa de práticas longas e um mergulho no desconhecido. A chave para ultrapassar essa hesitação e maximizar o potencial do Ágil é em abordar a adoção de forma incremental. Comece por desenvolver uma estratégia ao redor de um time mais eficiente – um que prioriza transparência extrema, e um fluxo de trabalho mais visual e interativo. Partindo daqui, comece a conceber estratégias para melhor envolvimento dos clientes no processo criativo. O planejamento Ágil correto e ferramentas colaborativas podem ajudar também a ajustar os processos Ágeis.


Os princípios Ágeis já estão reformando a forma como agências de propaganda atendem os clientes. Ao aplicar gradualmente a metodologia na sua agência, você se mantém competitivo em uma indústria que demanda se reinventar constantemente.


Se você é uma agência e quer entender melhor como pode se reinventar para um modelo mais ágil, entre em contato com a gente.


Texto traduzido do Patric Palm no site Huffpost, clique para ler em inglês.


Até a próxima.

0 visualização

© 2020 por Ensaio.